terça-feira, 17 de outubro de 2017

Foi ele que escreveu a Ventania - Autógrafos!

Sábado (21/10) estarei na Livraria NoveSete comemorando os 6 anos da querida editora Pulo do Gato!
Com direito a sessão de autógrafos no livro novo! 
Vou chegar após as 15h. Quem puder, apareça...


sábado, 16 de setembro de 2017

Falta uma semana para o lançamento do ano!

Falta UMA SEMANA para o lançamento de "Guardiões do Pentagrama", de Rosana Rios e Helena Gomes! Será sábado que vem, a partir das 18h30, na Martins Fontes da Paulista. Como a história fala de magia e GATOS, parte dos DAs desse livro foi cedida à ONG Adote um Gatinho.
Veja, abaixo, mais um trechinho do livro para degustação...






Quando, no alto, o céu ainda não tinha nome
e a terra, embaixo, não havia sido nomeada,
Apsu, o primordial, o pai de todos
e Tiamat, útero que daria à luz os deuses,
suas águas, a doce e a salgada, misturaram.
Nessa época não brotavam juncos nem existiam campos
E os nomes dos deuses ainda não haviam sido pronunciados.
Mito da Criação Babilônico, registrado em sete tábuas de argila datadas do século XII a.C.
(...)
E aí começou a parte da conversa sobre magia.
Resumindo, do que eu consegui entender naquele dia: não é que os sumérios adorassem gatos, como os egípcios. Mas eles foram o povo que inventou a escrita, e descobriram o poder que as palavras têm para criar, mudar, transformar. O mito deles para a criação do mundo foi registrado pelos babilônicos, e diz que a terra e os próprios deuses só passaram a existir depois que seus nomes foram pronunciados.
Os antigos tinham de aprender os nomes de suas três mil e seiscentas divindades, porque através da nomeação obtinham poder. E os Povos de Sumer, seus descendentes, desenvolveram a habilidade de conjurar luz, fogo, água, vento.
Sua magia se baseava no falar, em pronunciar nomes das coisas e pessoas, combinando-os com palavras de poder na língua dos ancestrais. Parece que na época da supremacia dos egípcios já podiam se transmutar em gatos, e por isso os felinos foram adorados naquela região. Já na Idade Média os gatos eram temidos, assim como qualquer manifestação de magia, e foi difícil aos membros das colônias sobreviverem fora delas. Durante a Inquisição muitos fugiram para as Américas, apesar de aqui também ter havido caça às bruxas.
Mas nem todas as pessoas de sua sociedade são capazes de magia tão avançada. Os jovens escolhidos para viver na cidade sagrada e receber o treinamento de guardas de elite possuem muito poder, que devem usar para proteção da cidade e dos Guardiões do Pentagrama — esses, sim, além de serem juízes supremos são os bruxos mais poderosos de todos.
Deuses. Magia. Jogos políticos de poder, alianças, traições.
Onde eu tinha ido parar?!
Como se lesse minha mente, de novo, Kallaf tentou me confortar.
— Pelo menos a magia aqui vai te proteger, Nin-Til.
Eis o link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1414187078663853/?acontext=%7B%22action_history%22%3A[%7B%22mechanism%22%3A%22bookmarks%22%2C%22surface%22%3A%22bookmarks_menu%22%2C%22extra_data%22%3A%22[]%22%7D%2C%7B%22surface%22%3A%22dashboard%22%2C%22mechanism%22%3A%22calendar_tab_event%22%2C%22extra_data%22%3A%22[]%22%7D]%2C%22ref%22%3A46%2C%22source%22%3A2%7D